A terra pede socorro – Jaime Guerra

 

Fiz o homem criação perfeita,

Inteligência dei pra que usasse.

Fiz a Terra e toda a criatura,

Ordenei ao homem para que plantasse.

Tudo para o homem coloquei na Terra,

Esperando que ele bem cuidasse.

 

Dei conhecimento a todo ser humano,

Pra que usasse em prol de sua vida,

Mas com ganância e em nome do progresso,

Ele deixou a Terra esmorecida,

Adoentada ela pede socorro,

Pede que o homem encontre uma saída.

 

O homem colhe aquilo que plantou,

Sabe bem o que está ocorrendo,

Alguns se levantam para seu socorro,

mOutros nem ligam pra o que está acontecendo.

A Terra hoje respira muito mal,

Culpa do homem, dela esta morrendo.

 

O homem estraga sua vegetação,

Em seu lugar faz grandes construções,

Sejam edifícios, fábricas ou monumentos,

Se esquecendo das próximas gerações,

Tudo em nome do conhecimento,

Inconsequente com suas ações.

 

O ozônio já está se rompendo.

Muitas espécies vão desaparecer,

Consequências da poluição,

Que o homem insiste em promover…

Até quando a humanidade

Assistirá tudo isso acontecer?

 

Muitas doenças novas aparecem,

Outras já velhas voltam a surgir

E o homem, em nome do progresso,

Esquece que tem seu futuro incerto.

Assiste à Terra virar um deserto

E esquentar até explodir.

 

Convido você, querido amigo,

A tomar nova decisão.

O desafio é evitar que nossa Terra

Se transforme em cinzas e carvão.

Cada um fazendo a sua parte,

Todos juntos com união.

 

Agora espero que você entenda

Tudo isso com muita clareza,

Que é preciso começar fazendo,

Agora mesmo e tenha a certeza

Que um dia iremos todos gritar

Viva Deus e salve a natureza.

 

 

Do Livro: Bom Jardim dos Poetas I 104

Foto: Edgar S. Santos

2019-02-26T09:46:57+00:00 setembro 14th, 2018|Poesia, Vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário