Artista de A – Z: Nena

Img 8602.profileSeverino Antônio de Lima, o mestre Nena, nasceu no dia 15 de junho de 1964, na Vila das Mercês, distrito do Cabo de Santo Agostinho, município da Região Metropolitana do Recife. Com a morte do pai, Manoel Serafim, caldeireiro da Usina Mercês, foi morar ainda menino com os avós no Mauriti, bairro central da cidade que já nos anos 1960 se destacava pela concentração de olarias e pela produção em cerâmica.

Nena cresceu acompanhando o trabalho de oleiros e de grandes mestres artesãos, como Celestino José Mota Filho, o seu Celé, um dos precursores no Cabo de Santo Agostinho, nome fundamental na formação da identidade da cerâmica do Mauriti, fundador e primeiro presidente da Associação do Ceramistas do município. “Morava vizinho à Olaria de Celestino e de Clebe (Clebe José Mota, irmão de Celé) e fiquei encantado com todo aquele movimento ”, recorda Nena, que aos dez anos de idade tinha o barro como ocupação, e com apenas 14 anos já bancava os estudos dos irmãos mais novos.

De ajudante a oleiro experiente, apesar da pouca idade, Nena dedicou décadas de sua vida à fabricação da cerâmica utilitária, chegando a produzir 300 filtros de água por semana. “Foi uma época difícil. Fazia aquele trabalho repetitivo, em grande quantidade, e sempre chegava em casa praticamente sem dinheiro. Apesar de tudo, nunca deixei de ter esperança de que um dia tudo mudaria”, lembra.

E mudou. Em 2003, a partir de um trabalho desenvolvido pelo Laboratório de design O Imaginário (UFPE), em parceria com o Sebrae, os artesãos do Mauriti tiveram a oportunidade de ampliar conhecimentos técnico e mercadológico no momento em que a cerâmica local se encontrava em pleno declínio. A ação do Imaginário foi importante para o resgate histórico e abertura de novas perspectivas para antigos e jovens artesãos. As iniciativas estimularam mudanças projetando o trabalho manual a uma nova realidade criativa e qualitativa. Em 2007, um passo significativo desse processo foi dado com a inauguração do Centro de Artesanato Arquiteto Wilson Campos Jr. – construído pela Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho com a colaboração de entidades parceiras. Mestre Nena, que tem no Centro de Artesanato espaço para sua produção, protagonizou tais mudanças. Deixou para trás os filtros de água para dar vazão à veia criativa, marca definitiva de seu trabalho. “ O pessoal do Imaginário foi muito importante na minha vida. Eles ajudaram a abrir a minha mente. Acredito que na vida Deus coloca anjos em forma de gente em nosso caminho”, afirma.

Suas peças modeladas em torno estabelecem um diálogo entre o tradicional e o contemporâneo. Nena inspira-se na natureza e no prazer assegurado pelo próprio ofício. Inova em suas leituras estéticas ao criar vasos, pêndulos, castiçais entre tantas outros objetos utilitários e decorativos. “Gosto de ser desafiado pela peça; acho que isso está na alma de todo artesão”.

Nena integra a Alameda dos Mestres da Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte) desde 2016. Acredita que o evento é um grande momento para todos os os artesãos devido à interação com o público e outros criadores. Sua arte cerâmica já o levou em viagens pelo Brasil. “Tenho imenso prazer em trabalhar com o barro e a trajetória de minha vida é um grande testemunho disso. O barro me tirou das dificuldades, alimentou meus filhos e me completa”, assegura o mestre.

Contatos:

Centro de Artesanato Arquiteto Wilson Campos Jr – Rodovia PE-60, KM 5, Cohab, Cabo de Santo Agostinho.

Telefone: 3521.2774

Texto: Rozziane Fernandes l Fotos e vídeo: César de Almeida

 

   

Fonte: http://www.artesanatodepernambuco.pe.gov.br

2018-09-28T16:13:42+00:00 outubro 19th, 2018|Artistas de A a Z, N|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário