Bom Jardim (Terra do Barão de Lucena) – Doddo Félix

Fica cento e dez quilômetros 

distante da Capital

-Bom Jardim, de Pernambuco

no Agreste Setentrional.

Tem no clima quente e úmido

temperatura ideal.

 

Altitude oficial,

além do nível do mar:

trezentos e trinta e três

metros, convém registrar.

Outros detalhes ainda

vale a pena ressaltar.

 

O inverno é regular,

já que a precipitação

pluviométrica anual

em nossa circunscrição

é de mil e cem milímetros

na média da medição.

 

Teve início a povoação

talvez nos primeiros anos

do século dezoito, quando

valorosos lusitanos

buscaram desenvolver

nestas plagas alguns planos.

 

Ante esforços sobre-humanos

e desafios ferrenhos

aqui fizeram fortuna:

fazendas de gado, engenhos…

Trabalho, sorte e coragem

garantem bons desempenhos.

 

A força de seus empenhos

gerou desenvolvimento.

O vai e vem dos tropeiros

fez crescer o aldeamento

até que, de Limoeiro,

se deu o desmembramento.

 

Data, este acontecimento

que ora nos anais vasculho,

do ano de mil oitocentos

e setenta e um, mês de julho,

dezenove o dia exato,

que festejamos com orgulho

 

Não sou ave, mas arrulho…

Na verdade, estou a fim

de divulgar esta terra,

falar tintim por tintim,

ressaltando as maravilhas

deste esplêndido jardim.

 

Quem visitar Bom Jardim,

na chegada vê o rio

que já foi muito bonito,

porém hoje está sem brio.

Urge revitalizá-lo,

mas é grande o desafio.

 

Todavia, o casario

serve de compensação:

sobrados azulejados

há em toda direção

e muita gente simpática

de bondoso coração.

 

Sempre provoca emoção

a beleza da matriz

à Sant’Ana consagrada,

conforme o fundador quis.

Com a proteção da santa,

o povo é muito feliz.

 

Mas existem no País,

em Estados diferentes,

com diferentes costumes,

mas ricas, mais florescentes,

várias outras Bom Jardim

dando abrigo a outras gentes.

 

Igual à nossa, entrementes,

com certeza não existe.

Às maravilhas que ostenta

decerto ninguém resiste.

É realmente um jardim

onde a beleza persiste.

 

Nossa vaidade consiste

no fato de a natureza

transformar este torrão

num cenário de beleza

onde o pau-d’arco amarelo

reina com sua nobreza.

 

É variada a riqueza

de belezas naturais:

bosques, serras, cachoeiras,

fontes de águas minerais

e sítios arqueológicos

com vestígios ancestrais.

 

Certamente, especiais

são nossos pontos turísticos.

Pedra do Navio é o máximo,

além de lugares místicos

como a Gruta de Umari,

todos bem característicos.

 

Nossos trabalhos artísticos,

arte popular de fato,

têm a marca registrada

do mais puro artesanato

produzido com esmero

por talentos do Curato.

 

Aproveitando o relato

que faço desde o principio,

exaltando as principais

belezas do município,

é meu dever confessar:

deste lugar sou mancípio.

 

Adiciono agora um rípio,

já que a rima exige assim,

para dar prosseguimento

e, antes de chegar ao fim,

terei descrito o que há

de mais belo em Bom Jardim.

 

Convém dizer tudo enfim,

pois tem muita coisa ainda

que deve ser destacada

nesta cidade tão linda.

Enquanto não o fizer,

esta narração não finda.

 

Portando, Bom Jardim brinda

os ilustres visitantes

com suas velhas ladeiras

e as flores mais cativantes

que são, sem nenhuma dúvida,

todos os seus habitantes.

 

Deliciosos instantes

entre nós desfrutarão

provando da culinária…

(Quem resite à tentação?)

Exemplo: a Dama de Ouro

com seu famoso capão.

 

Maravilhosa atração

é o banho de cachoeira

lá no sítio Paquevira:

-Poço Verde, uma banheira

de água morna a deslizar

na fértil região brejeira.

 

Mas visita prazenteira

e importante de fazer,

é à Pedra do Caboclo

porque, além de prazer,

respira-se arqueologia

de mistura com lazer.

 

Necessário é também ver

nossas feiras semanais,

na quarta-feira e no sábado,

ambas sensacionais,

onde se compra à vontade

sem custos adicionais.

 

Convém não deixar jamais

de esticar a visita

ao velhos banguês, engenhos

cuja história tão bonita

é preciso, urgentemente,

com carinho ser escrita.

 

Para quem não se conflita

com os dogmas da Madre Igreja,

uma prece na matriz

é tarefa benfazeja

pra remir-se dos pecados

e pra que mais feliz seja.

 

Depois aproveite e veja

o centro de disciplinas,

que é o colégio Sant’Ana

das freiras beneditinas,

no campo da educação

verdadeiras heroínas.

 

Em seguida, às pequeninas

capelas da freguesia

faça peregrinação,

seja de noite o de dia,

pois vale a pena fazer,

contrito, essa romaria.

 

Quem gostar de nostalgia,

não perca tempo, afinal,

vá imediatamente

ver, no Grêmio Musical,

o acervo fotográfico

existente no local.

 

Centro Multicultural

aos artistas dedicado,

um lugar que bem merece

por todos ser visitados,

fica lá na Rua Grande

onde outrora era o Mercado.

 

Mas ficaria frustado,

acreditando em mistérios,

quem não visitasse a mina

de onde extraem-se os minérios,

próximo à Pedra do Navio,

um trabalho dos mais sérios.

 

É a Bom Jardim Minérios 

com as pedras trabalhado,

se bem que esse trabalho

na pedreira não é brando.

Mas o pão a muita gente

está proporcionando.

 

Bastante animado é quando

acontecem na cidade

as festas tradicionais,

concorridas de verdade,

trazendo de toda parte

gente pra matar saudade.

 

Grande multidão invade

as ruas com devoção

na festa da padroeira,

em compacta procissão.

Mas tem mais gente no dia

da de são Sebastião.

 

Outra grande tradição

é o nosso carnaval.

Foliões lotam as ruas

numa indomável caudal.

Então transborda alegria

e a algazarra é total.

 

No mês de junho é igual

do povo a animação.

Festividades juninas

causam muita sensação,

sendo lembradas pra sempre

as noitadas de São João.

 

Não encerro a narração

nesses verso mal escritos

sem lembrar a importância

de uma visita aos distritos,

assim como aos povoados

que têm festejos bonitos.

 

Há lugares favoritos…

Mas não como Bom Jardim!

Todo mundo que aqui chega

tem ótima acolhida, enfim.

E as melhores impressões

daqui levará no fim.

 

Esta cidade é assim:

lugar de beleza e paz.

Às pessoas que a visitam,

um bem enorme ela faz.

Quem vem aqui sempre volta

-eis nosso melhor cartaz.

 

 

 

 

 

 

2018-10-31T14:32:30+00:00 novembro 7th, 2018|Cordel|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário