Caboclinho 7 Flexas finaliza mais de 130 fantasias para o Carnaval

Patrimônio Vivo de Pernambuco, a agremiação é também uma das porta-vozes desta manifestação cultural que é Patrimônio Imaterial Cultural do Brasil (Iphan/2016)

Durante os cortejos no Carnaval, o brinquedo sai com aproximadamente 140 componentes

Representante da jurema sagrada, o Caboclinho 7 Flexas, Patrimônio Vivo de Pernambuco, se dedica neste mês de fevereiro a terminar o bordado das fantasias para o Carnaval deste ano. Ao todo, são mais de 130 indumentárias que estão sendo confeccionadas na sede do brinquedo, um dos porta-vozes desta manifestação cultural que é Patrimônio Imaterial Cultural do Brasil (Iphan/2016).

Esse ano o grupo sai com o tema ‘Arco e Flexa’ e vai falar sobre vários estados brasileiros e países como Portugal e França, responsáveis pelo contato com os primeiros povos originários do país.

Paulo Sérgio dos Santos Pereira, ou Paulinho 7 Flexas, responde atualmente pelo Caboclinho. Filho de Alfaiate, sócio fundador do Caboclinhos 7 Flexas, desde 7 de setembro de 1971, e de Marlene Francisca Neponucena, uma figura importante na organização do grupo, Paulinho dança desde os dois anos na brincadeira.

“No momento estamos terminando de bordar as fantasias, colando, armando os diademas. É mais trabalhoso essa parte porque são 130 fantasias. E quem está nesse processo de confecção sou eu, minha irmã e meu sobrinho”, conta Paulinho 7 Flexas

No caboclinho, há uma tradição familiar de liderar todas as atividades. A casa se mistura com a sede do brinquedo, com o espaço da oficina de dança e também dos ensaios semanais. “No momento estamos terminando de bordar as fantasias, colando, armando os diademas. É mais trabalhoso essa parte porque são 130 fantasias. E quem está nesse processo de confecção sou eu, minha irmã e meu sobrinho”, conta Paulinho.

Todo o trabalho artesanal está concentrado na sede do Caboclinho, na Travessa do Dowley, em Água Fria, Zona Norte do Recife. Nesse processo são costuradas nas peças lantejoulas, semente de ave-maria, cocar de pena de ema, entre outros elementos que compõem essa manifestação.

Esse ano o grupo sai com o tema ‘Arco e Flexa’ e vai falar sobre vários estados brasileiros e países como Portugal e França, responsáveis pelo contato com os primeiros povos originários do país

Assim como boa parte dos grupos de cultura popular do estado, o 7 Flexas ainda não tem uma programação definida para os festejos de Momo, mas conta que “além dos nossos ensaios, o que temos marcado durante o Carnaval é o tradicional Concurso de Agremiações do Recife, na Av. Nossa Senhora do Carmo, na terça-feira (5/03), às 21h”, explica Paulinho.

A participação será no Grupo 1 da competição que o Sete Flexas conquistou nove troféus. “Quando saímos no Carnaval vamos com aproximadamente 140 componentes, porque se somam ai o pessoal dos instrumentos. Em relação a isso, as preacas, caracaxá, tarol, atabaque e as gaitas já estão todas prontas”, comemora.

Este ano o caboclinho participará do Concurso de Agremiações do Recife, na Av. Nossa Senhora do Carmo, na terça-feira (5/03), às 21h

Os ensaios são abertos ao público e acontecem na sede do caboclinho. “Normalmente a gente ensaia aos domingos, mas como vai ter jogo na redondeza deixamos para o próximo sábado (16), pela tarde. Depois teremos novamente na quarta (20) à noite e próximo domingo (24), também à tarde”, convida Paulinho 7 Flexas.

 

 

Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br

 

 

2019-02-14T09:45:02+00:00 fevereiro 14th, 2019|Notícia em Destaque|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário