Espaço O Poste promove festival que reverencia o trabalho de artistas negros

O festival Luz Negra – O Negro em Estado de Representação acontecerá a partir desta terça-feira (20) até o dia 25 de novembro, no Espaço O Poste, para celebrar a Semana da Consciência Negra oferecendo cerca de 10 atividades que potencializa o negro nas artes.

O espetáculo Ombela fará a abertura do festival, nesta terça (20), no Espaço O Poste.

De 20 a 25 de novembro, o grupo O Poste Soluções Luminosas realiza a segunda edição do Festival Luz Negra – O Negro em Estado de Representação no Espaço O Poste, no Recife. Criado e formado exclusivamente por artistas negros, o coletivo busca sedimentar a representatividade do negro no campo das artes, afirmando e buscando novos territórios em Pernambuco, através do festival. Neste ano, o evento pretende ampliar o campo da representatividade incluindo na programação a Mostra Jovens Talentos Negros e leitura dramatizada com artista trans, além de lançamentos de livros.

A cada edição o festival homenageia um artista negro e nesta edição a homenagem será para Ivone Cordeiro, atriz que teve um papel importante nas décadas de 80 e 90 no teatro pernambucano.

O evento é realizado pelo grupo O Poste Soluções Luminosas, formado por Naná Sodré, Samuel Santos e Agrinez Melo.

Para celebrar a semana da Consciência Negra, o evento tem como objetivo mostrar a criação do artista negro nas artes cênicas e em outras linguagens. “Queremos o rompimento de paradigmas de preconceito através da própria presença do artista negro em situações cênicas diversas e, assim, o próprio público e o artista negro se reconheça e se sinta representado”, defende Naná Sodré, que é uma das integrantes de O Poste Soluções Luminosas, ao defender a proposta do projeto.

As construções de identidades são territórios dinâmicos, ambivalentes e de negociação. Nesse sentido, falar de negritude parte do reconhecimento de que se age em determinado contexto: o da reflexão. A reflexão que discorre sobre como evidenciar o trabalho no negro na cena cultural e propor uma reflexividade sobre uma programação que potencializa o negro nas artes”, completa Agrinez Melo, que também compõe O Poste Soluções Luminosas, sobre a curadoria do evento, que conta neste volta mais abrangente.

NOVOS TERRITÓRIOS

Na primeira edição, o grupo sentiu a ausência de artistas trans, diretoras, autoras e uma ação que trouxesse o jovem negro para o campo da atuação. Para suprir essa lacuna, a artista trans Sophia William fará a leitura/performance  do texto “Amor Híbrido”, de Samuel Santos, sob a direção de Agrinez Melo; e do texto “Sina”, de Andala Quituche – dramaturga  premiada no II Prêmio Ariano Suassuna de Cultura Popular e Dramaturgia – sob direção de Naná Sodré.

A Mostra Jovens Talentos, por sua vez, contará com seis cenas curtas criadas e protagonizadas por jovens negros na dança, na música e no teatro. Trabalho como a da atriz e bailarina Luana Vitória, de 17 anos, integrante do Balé Majê Molê, do bailarino de dança popular e contemporânea Deyvson Vicente e das atrizes Bruna Martins e Camila Mendes.

Naná Sodré apresentará o espetáculo “A Receita”, no dia 24 de novembro.

Entre os destaques da programação também está a primeira demonstração da segunda etapa da pesquisa O Corpo Ancestral dentro da Cena Contemporânea, do grupo O Poste Soluções Luminosas, que promoverá uma Gira de Diálogo no dia 23/11, às 19h. A antropóloga francesa Daniele Perin Rocha Pitta e do babalorixá Pai Kaê, do Centro Espírita Cabocla Genoveva. A atividade é gratuita e aberta para todos os públicos, principalmente a comunidade negra, pesquisadores com foco na matriz africana e artistas.

Com incentivo do Funcultura, o projeto de pesquisa O Corpo Ancestral dentro da Cena Contemporânea dá continuidade ao trabalho desenvolvido em 2015 centrado nos terreiros de Candomblé e, agora, em 2018, amplia o objeto de estudo também para os terreiros de Jurema e Umbanda. Com a pesquisa, o grupo cria meios de aprofundar os estudos e vivenciar de forma prática os rituais de matriz africana, estudando os vetores de energias dos orixás e de como podem ser levados para a cena. Neste segundo momento, o aprofundamento virá com a formação da dança dos Orixás, com a professora e Yabá do Terreiro Ilê Obá Aganju Okoloyá, Hellayne Sampaio.

PROGRAMAÇÃO:
Espaço O Poste

Dia 20/11

20h – Espetáculo Ombela, com Agrinez Melo e Naná Sodré.

Sinopse: Ombela (a chuva) após cair resolve deixar duas gotas que se transformam em duas entidades, que são a personificação da chuva ganhando corpo e voz. Essa(s) Ombela(s) inventa(m) rios e desdobra ao som do vento e a cada gota faz nascer ou morrer coisas, gente e sentimentos. Ao longo da jornada aqui na terra as vemos tomarem formas variadas absorvidas pelo processo de humanização que passam. Ombela representa arquétipos do universo feminino, é a síntese poética onde a chuva reorienta a transfiguração dos sentidos da vida transformados na beleza da mulher e nos interroga quem somos nós e para onde vamos? A peça além de ser interpretada em português tem partes faladas e cantadas na língua africana de Angola umbundo, que é uma língua banta falada pelos Ovimbundos das montanhas centrais de Angola. O espetáculo é um musical ao vivo com direção musical de Isaar.
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Dia 21/11

18h – Leitura dramatizada do texto Sina, de Andala Quituche com Direção de Naná Sodré. Com os atores Jackson Flavio, Gilblênio Saadh, Andala Quituche e Mateus Maia.

Sinopse: Sina é uma tragédia da Cultura Popular que retira da tradição do Cavalo Marinho seus personagens mais conhecidos, dando a eles uma nova leitura dentro da tragicidade humana.

20h – Leitura dramatizada do texto Amor Híbrido, de Samuel Santos e direção Agrinez Melo. Com Sofia Wiliam.

Sinopse: uma criança  nasce na hora da  Ave-Maria. Só que ele vai se transformando em um menina com o passar  do tempo. Ele/ela acha que por ter nascido às 18h foi amaldiçoado. Mas será uma maldição ou uma revelação? Que segredos serão revelados por uma criança que nasceu  homem   e vai virando mulher?

Preço único: R$ 10 para qualquer leitura.

Dia 22/11

10h – Apresentação do experimento pedagógico dos alunos da Escola O Poste de Antropologia Teatral
Sinopse: Experimento Em Cada encruzilhada uma Historia Dada – Um ensaio para Eugenio Barba.

Entrada gratuita. 

Dia 23/11

18h – Lançamento dos livros “Gule Wankulo-Ancestralidades e Memórias”, de Tsumbe Maria Mussundza   e “Coco de Umbigada” e “Matriarcado e Fé: a história de Mãe Fátima de Oxum”, da autora pesquisadora e etnomusicóloga Dani Bastos.
Entrada Gratuita. Valor do livro: R$ 30.

19h – Gira de Diálogos sobre a pesquisa “O Corpo Ancestral dentro da cena contemporânea”, com a antropóloga francesa Danielle Perin Rocha Pitta e o Babalorixá Kaê, com demonstração prática da pesquisa feita nos terreiros pelo grupo O Poste
Entrada gratuita.

20h30 – Apresentação do Balé Majê Molê – Espetáculo Povos Bantus

Sinopse: Segundo alguns historiadores, foram os de etnia bantu os primeiros negros a entrarem no Brasil. Os Bantos foram introduzidos em Pernambuco e espalhando-se por Alagoas, Bahia, Rio de Janeiro, minas Gerais, São Paulo e Maranhão, estendendo-se ao litoral Paraense. Os Bantus implantaram seus hábitos religiosos, costumes, ritmos e participaram ativamente da construção da língua brasileira.
Ingressos R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Ingressos à venda no local a partir das 19h30.

Dia 24/11

19h – Espetáculo A Receita, com Naná Sodré.

Sinopse: A peça encena a vida de uma mulher negra que em meio ao abandono e devaneios de relações frustradas com o companheiro e os filhos, passa a maior parte do tempo na cozinha tentando temperar suas ilusões com sal, alho e coentro com cebolinha. A morte, a violência, a loucura e a intolerância são explorados de uma forma crua e cortante, tal qual esta mulher obstinadamente faz com os temperos de sua comida. A Receita é um convite a conhecer a realidade de diversas mulheres negras e periféricas que são sistematicamente invisibilizadas pela sociedade brasileira.
Ingressos R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

20h – Mostra Jovens Talentos Negros (com Luana Vitória, Erika Nery, Bruna Martins, Camila Mendes, Fábio Roberto e Deyvson Vicente)
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Dia 25/11

17h – Espetáculo Cordel do Amor sem fim, com Agrinez Melo, Madson de Paula, Naná Sodré e Roberta Marcina.

Sinopse: A história se passa na cidade de Carinhanha, sertão baiano, às margens do rio São Francisco vivem três irmãs – a misteriosa Madalena, a dissimulada Carminha e a jovem Tereza – por quem José é apaixonado. Drummondianamente, Carminha ama José, que ama Tereza que ama Antônio, um viajante forasteiro por quem ela se apaixonara no porto da cidade, exatamente no dia em que um almoço marcaria seu pedido de casamento feito por José. Toda a trama então se desenrola em função do tempo de espera de Tereza pela volta de Antônio que vai interferindo na vida dos personagens de forma decisiva. Com final surpreendente dentro da poética do cordel, Tereza de tanto esperar seu amor acaba virando pedra às margens do rio São Francisco.
Ingressos R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

SERVIÇO:
FESTIVAL LUZ NEGRA – O NEGRO EM ESTADO DE REPRESENTAÇÃO – Segunda Edição! Novos Territórios!
Uma homenagem à atriz negra Ivone Cordeiro.
De 20 a 25 de novembro de 2018.
Local: Espaço O Poste: Rua da Aurora, 529, Boa Vista, Recife.
Ingressos no Local

 

 

Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br

2018-11-20T09:56:38+00:00 novembro 20th, 2018|Notícias, Vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário