Lâmina Selvagem no Vitória Geek, dias 6 e 7 de abril

Um novo talento bonjardinense

 

Decerto os brasileiros ainda vão ver nas comics cons e nas bancas de jornal o título Lâmina Selvagem estampado em capas de HQs. Sim, pois se trata de uma publicação do autor bonjardinense Adriano Silva que, em dezembro de 2018, fez o lançamento oficial da revista criada por ele, na comic con experience realizada na cidade de São Paulo.

Adriano tem 38 anos e iniciou-se na produção de textos para HQ em 1998. Atualmente dispõe de farto material pronto para a produção dos quadrinhos a serem levados aos consumidores da cultura geek, cuja maioria é composta de jovens. O êxito obtido no lançamento foi bastante exitoso e estimulou o conterrâneo a introduzir no mercado internacional os seus quadrinhos. Segundo informou, a participação no evento da capital bandeirante foi deveras promissora, inclusive ultrapassando a expectativa de vendas. O personagem principal de suas criações é o “Lâmina Selvagem”, uma espécie de Justiceiro que busca solucionar problemas relacionados à violência no Rio de Janeiro. Para que o leitor tenha uma ideia dessa figura, vamos transcrever o resumo constante da quarta capa da revista recém-lançada: “Por trás da chacina da Candelária outro crime ocorria, mendigos estariam sendo sequestrados e submetidos ao implante do P.B.H. (Protótipo Biomecânico em Humanos) criado pela Biotec, para tornarem-se super soldados. Uma empresa rival, a Biotron, rouba o projeto e o aperfeiçoa, surgindo assim um ciborgue que destrói o grupo de super soldado chamado Esquadrão Selvagem. Um sobrevivente do Esquadrão começa a ter recordações de sua vida passada e resolve desmascarar as duas empresas. Mas é capturado e submetido ao processo de aperfeiçoamento. Durante a experiência, ele escapa, tornando-se nosso herói e parte para o embate contra o ciborgue que está aterrorizando a cidade do Rio de Janeiro”. Imbuído de elevado senso comercial, Adriano Silva já criou o próprio selo visando facilitar a publicação das futuras HQs. Para isso dispõe de uma equipe de auxiliares envolvendo profissionais de várias áreas, tais como desenhista, letrista, colorista e arte-finalista. Para que a revista chegue às bancas o custo é alto, mas seu criador mostra-se entusiasmado, acreditando no sucesso do empreendimento e com pretensões de investir cada vez mais na atividade. Tamanho empenho e confiança no futuro próximo é motivo de comemoração para nós que acreditamos no seu talento, certos de que logo, logo, encherá de orgulho a nossa terra e todos os seus patrício e admiradores.

Por: Doddó Félix / culturapopularpe.com.br

2019-04-05T21:55:10+00:00 abril 5th, 2019|Notícia em Destaque|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário