Livro revisita a história dos 40 anos do bloco “Eu acho é Pouco”

O lançamento da publicação, que conta com incentivo do Funcultura, será na próxima quarta-feira (27), às 19h, no Mercado Eufrásio Barbosa

Em seis capítulos, o livro reconta a trajetória da agremiação

Para marcar seus 40 anos de folia pelas ladeiras de Olinda, o Grêmio Lítero Recreativo Cultural Misto Carnavalesco Eu Acho é Pouco lança, nesta quarta-feira (27), às 19h, o livro Eu Acho é Pouco – O Carnaval em vermelho e amarelo, no Mercado Eufrásio Barbosa.

A publicação é baseada em uma pesquisa biográfica lançada em 2015 – ambos os projetos contaram com incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura/Funcultura, do Governo do Estado de Pernambuco. Do cruzamento entre dados e informações compilados nos acervos pessoais e nos arquivos públicos e as lembranças de cinquenta entrevistados, a narrativa é construída em seis capítulos que recontam a trajetória da agremiação, contextualizando-a em relação à situação política do estado e do país.

“Desde o princípio, partimos do pressuposto de que a construção da memória se faz de falhas, lembranças, ausências e ressignificações. O processo de pesquisa foi um instrumento de revisão e de composição de uma memória coletiva e afetiva que nos proporcionou descobertas e questionamentos, assim como demandou reflexão, amadurecimento e retorno ao que já havia sido visto e ouvido”, observa a antropóloga Júlia Morim, responsável pela pesquisa e pela escrita ao lado da jornalista Luciana Veras. “Ao documentar e difundir a memória de um dos mais tradicionais blocos de Carnaval de Olinda, Eu Acho é Pouco – O Carnaval em vermelho e amarelo contribui para o próprio processo de salvaguarda do frevo e da folia pernambucanas”, afirma Maria Chaves, sócia da Proa Cultural e uma das idealizadoras do projeto.

Para além do conteúdo textual, que inclui o prefácio assinado pelo professor e folião Roberto Efrem Filho e um ensaio do antropólogo Lucas Victor Silva, leitores e leituras poderão curtir uma seleção de fotografias que registram desde os alegres bailes vermelho e amarelo, desfiles e ensaios, inclusive do Eu Acho é Pouquinho, até os célebres ícones, como o estandarte e o dragão que acompanham os cortejos, e as artes das tradicionais camisetas assinadas por diversos artistas e designers simpatizantes do bloco.

O projeto gráfico é de Luciana Calheiros e Aurélio Velho, da Zoludesign, e foi criado a partir das ilustrações que a designer e artista visual Juliana Calheiros fez para a camisa e os produtos em vermelho e amarelo do Carnaval 2019. “A ideia era tentar traduzir para as páginas a vibração, a alegria, a explosão que é o bloco na rua e o balé das cores nas fantasias de quem ajuda a colorir as ruas de vermelho e amarelo. Buscamos também evidenciar a força criativa que resulta do casamento entre texto e imagens no livro e fazer dele um registro de memória mas também um ato político sobre o presente”, pontua a designer Luciana Calheiros. Ao todo, Eu Acho é Pouco – O Carnaval em vermelho e amarelo possui 236 páginas no formato 20x25cm.

Por meio de QRCodes, o livro dá acesso a dois produtos audiovisuais que revisitam, de maneira sintética e sob o formato de um vídeo de três minutos e um documentário de trinta minutos, respectivamente, o nascimento de uma nação em vermelho e amarelo. Para as pessoas cegas ou com baixa visão, o conteúdo do livro é disponibilizado em PDF aberto no site www.euachoepouco.com.br, e pode ser acessado por meio de aplicativos ou programas de leitor de tela. As fotos presentes no livro também contam com audiodescrição.

Serviço
Lançamento do livro “Eu Acho é Pouco – O Carnaval em vermelho e amarelo”
Quando: 27/2 (quarta-feira), às 19h
Onde: Mercado Eufrásio Barbosa (Praça do Varadouro, s/n, Varadouro, Olinda)
Valor: R$ 50, à venda na ocasião.

 

Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br

2019-02-25T13:37:14+00:00 fevereiro 25th, 2019|Notícias|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário