Tornando a vê-la – Levino Ferreira

 

Nada de novo… apenas mais mimosa.

O mesmo talhe esbelta de menina

É a mesma voz sonora e melodiosa 

Que lhe jorra da boca purpurina.

Toda cheia de encanto e mais ditosa, 

Ela, a mesma garota pequenina, 

Não perdeu de seus olhos a radiosa

Luz que fala de amor e que fascina.

Nada de mais… porém, eu já mudei. 

Não tenho aquele amor que me invadia

O ser; tudo passou, por que, não sei…

E certo de que nada me ilude 

Vejo morrer a carne dia a dia, 

Enquanto n’alma explode a juventude.

 

In Revista JUVENTUDE, nº 5 – jul/1962

Do Livro: Bom Jardim dos Poetas I 132

Foto: Pollyanna Valença l Cultura Popular PE

2019-02-26T09:35:34+00:00 setembro 13th, 2018|Poesia, Vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário