Urbano Silva – O Rei do Baião: A história

Vou decantar nosso rei,

Majestade do Baião,

O pai do nosso forró,

Astro de uma constelação.

Que brilha e que nos dá guia,

Garra, força e energia

Da música é a dominação.

 

Dia 13 de dezembro

Luiz nasceu no verão.

Na cidade de Exu

Parte do alto sertão.

Seu berço tão decantado,

Muito reverenciado,

Com carinho e atenção.

 

Sua mão era Santana,

Uma sertaneja e forte.

Seu pai era Januário,

Um sanfoneiro do norte.

Nas mãos daquele menino,

Nas linhas do pequenino,

Tinha a estrela da sorte.

 

Desde os tempos de menino,

O seu sonho era cantar.

Alegrar os nordestinos,

Seu povo homenagear.

Nas asas da Asa Branca,

Cultivou as esperanças,

Seus sonhos, fez decolar.

 

Fugiu do seu lar materno

Ao Ceará rumou

Indo a Minas Gerais

Domingos Ambrósio encontrou

Após comprar uma sanfona

No Rio de Janeiro ficou.

 

Nas terras da Guanabara,

Odaleia o encantou.

Gonzaguinha foi o fruto,

Que essa união gerou.

Dina e Xavier, juntos,

Compadres que adotou.

 

Amores teve mais dois

E uma filha também.

Helena e Edelzuita,

Rosinha era a neném.

Mulheres de sua vida,

Amadas como ninguém.

 

Cantou o seu pé de serra,

Do vaqueiro, a viagem.

De Karolina a aventura,

Do sertanejo a coragem.

Nos deu banho de respeito,

Mostrou talento perfeito,

Fez a maior homenagem.

 

Mas o tempo foi passando,

E foi chegando o cansaço.

50 anos na estrada

A voz tão grave e forte.

Aos poucos silenciando

E aos seus fãs aguardando,

Rezam por saúde e sorte.

 

No dia 2 de agosto

Do ano oitenta e nove,

A asa branca partiu,

Deixando as terras do norte.

E o povo nordestino,

Perdeu seu maior peregrino,

Saudade doeu forte.

 

Mas Gonzaga não morreu,

Apenas se eternizou.

Está no trono que é seu,

Reina, mostrando valor.

Protege a sua gente,

Que sente saudades ardente,

Daquilo que decantou.

 

Sua arma, era a sanfona,

A farda, era seu gibão.

A voz, talento de ouro

Grande era o coração.

Orgulho de nossa gente,

Que chora, saudades sente,

Lembrando o Rei do Baião.

 

E viva Gonzagão!

 

 

 

Dados sobre o autor:

José Urbano Silva – Natural de Belo Jardim (PE), nascido em 1970, o autor sempre identificou-se com a cultura popular, que conheceu na companhia dos seus pais, feirantes em Caruaru. Trabalhou uma década na Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru, é formado em História com extensão no ensino de Geografia, Religião e Artes. Pós-graduado em Metodologia do Ensino Superior, lecionou na rede escolar municipal e é autor de 10 palestras motivacionais; por 8 anos fez parceria na apresentação do programa Sábado Cultural na rádio Cultura do Nordeste. É colunista do jornal Vanguarda e da revista Moda e Negócios, autor do livro POETA e POESIAS, compositor musical, membro da Academia Caruaruense de Cultura e Técnico Administrativo em Educação na UFPE, além de pesquisador há três décadas das biografias de Padre Cícero, Lampião e Luiz Gonzaga.

“Aos 8 anos de idade ouvi SAMARICA PARTEIRA (zé Dantas) na vitrola da minha casa, e me encantei com aquela história sertaneja. Há 40 anos, minha admiração e reverência pela obra Gonzagueana. Sou um singelo operário da educação e rimador nas horas de alegrias”. Por mérito e honra foi agraciado com o titulo de CIDADÃO DE CARUARU.

 

 

 

 

2018-11-06T13:35:20+00:00 novembro 5th, 2018|Cordel|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário